O que impulsiona o gerenciamento e a segurança de endpoints convergentes?

As equipes de segurança e TI enfrentam desafios para gerenciar e proteger um número crescente de "pontos finais" em uma rede, o que está levando organizações a buscar recursos convergentes, segundo o ESG.

Empresas estão dando suporte a novos níveis de diversidade em termos de tipos de dispositivos, ambientes operacionais e locais de trabalho. Com o trabalho híbrido dominando a maioria das organizações, o gerenciamento e a segurança de dispositivos corporativos e não corporativos tornaram-se desafiadores, exigindo uma estreita colaboração entre as equipes de TI e de segurança. A rápida aceleração no uso de aplicativos SaaS de terceiros fornecidos por uma variedade de provedores de serviços em nuvem está trazendo mais complexidade para este cenário.

Equipes de TI e segurança exigem amplos recursos de gerenciamento, prevenção, detecção e resposta que devem abranger dispositivos e ambientes operacionais, muitas vezes fora de seu controle. Essa dinâmica está levando muitas organizações a buscar a convergência entre os recursos de gerenciamento e segurança para melhorar a colaboração e simplificar a implementação e as funções de gerenciamento contínuo.

Os líderes de TI e segurança estão, portanto, colaborando na estratégia e nas decisões de compra à medida que buscam mais ferramentas de gerenciamento unificado de endpoint (UEM) e segurança capazes de fornecer visibilidade, avaliação e mitigação de vulnerabilidades de software e configuração, o que atualmente é difícil ou impossível de alcançar com mecanismos existentes. Muitas organizações que usam ferramentas de desktop como serviço estão pesquisando ativamente tecnologias adjacentes –incluindo ferramentas de gerenciamento e segurança de desktop, ferramentas de gerenciamento de segurança e ferramentas de segurança de endpoint– com foco na colaboração e na eficiência.

Em apoio a essas tendências crescentes, estão surgindo opções de segurança e gerenciamento de endpoint convergentes, permitindo que as equipes de TI e segurança gerenciem e protejam um número crescente de dispositivos e cargas de trabalho, de forma eficiente.

A complexidade é o motor

O desejo por uma plataforma convergente não é novo, mas organizações renovaram a urgência de migrar para um ambiente com menos ferramentas para apoiar a eficiência operacional de TI e suas metas de automação.

A maioria das organizações está ciente do aumento da complexidade criado pela proliferação de ferramentas de TI e segurança em uso, mas muitas ainda hesitam em confiar em produtos convergentes. Embora as equipes de segurança tenham historicamente adotado a melhor abordagem da categoria, o Enterprise Strategy Group (ESG) continua vendo muitos chegarem a um ponto de ruptura em que a complexidade está impulsionando a mudança para a consolidação.

Desafios ainda existem

Para complicar as estratégias de convergência, a realidade é que produtos consolidados e abordagens especializadas muitas vezes não são compatíveis. Por exemplo, mesmo as melhores opções consolidadas podem não ter a cobertura de caso de uso necessária para dar suporte a ameaças avançadas mais recentes.

Para outros, o desalinhamento dos objetivos operacionais de TI e segurança cria desafios adicionais.

O conceito de UEM e plataforma de segurança convergentes não é novo. Os profissionais de TI e segurança veem os benefícios na superfície, mas precisam de mais evidências para reforçar sua confiança.

O ESG deve lançar novas pesquisas para capturar insights de mercado, estratégias e dinâmicas organizacionais relacionadas a UEM convergente e plataformas de segurança. A pesquisa ajudará a expor onde os profissionais de TI e segurança continuam sendo desafiados e como eles estão se beneficiando ou planejando tirar proveito de uma plataforma de segurança e UEM convergente.

O ESG é uma divisão da TechTarget.

Saiba mais sobre Dispositivos de endpoint

ComputerWeekly.com.br
ComputerWeekly.es
Close