Mike Kiev - Fotolia

Código aberto para o bem

Imagine se voluntariar para construir uma casa para uma família em dificuldades e toda a comunidade aparece para ajudar – é disso que se trata o código aberto.

No esforço da comunidade para ajudar uma família em dificuldades a construir uma casa, todos contribuem desinteressadamente, aproveitando suas próprias experiências como proprietários, focados em garantir que a casa dessa família seja construída o mais rápido e com a melhor relação custo-benefício possível. Cada indivíduo está trabalhando de olho no futuro, garantindo que o lugar perdure para que essa família possa construir uma vida melhor para si.

É assim que a comunidade de código aberto funciona. Em todo o planeta –o maior bairro de todos– dezenas de milhões de desenvolvedores de software de ponta compartilham o que sabem para o bem comum, e o fazem, em um mundo ferozmente competitivo, dando acesso gratuito uns aos outros para seu código de computador, até mesmo aos mais engenhosos e inovadores. O código aberto é um modelo de desenvolvimento baseado em derrubar paredes, não em montá-las. É o poder de muitos e funciona –99% da Fortune 500 depende de código aberto.

Na pandemia, o código aberto tem sido fundamental. Ele tocou bilhões de vidas e salvou vidas. Vi isso acontecer diariamente na SUSE, especializada em trazer software de código aberto para os negócios. Fiquei maravilhada com a importância do acesso universal ao código crítico para projetar a tecnologia de rastreamento de contatos, ajudando a desvendar as complexidades do caminho do vírus em todo o planeta.

Quando Cingapura liderou o mundo na implementação do rastreamento de contatos, o código aberto tornou isso possível. Quando testes e análises de Covid-19 em larga escala se tornaram disponíveis, o código aberto tornou isso possível (e estamos orgulhosos de ter capacitado nosso cliente, Ruvos, para conseguir isso). Quando as organizações de saúde precisavam de uma maneira econômica de analisar torrents de dados a qualquer momento, o código aberto tornou isso possível.

O código aberto permeia nossas vidas. É uma força notável, muitas vezes desconhecida, para o bem. O software de código aberto é incorporado em máquinas de mamografia, impulsiona a condução autônoma para tornar as pessoas mais seguras na estrada, sistemas de controle de tráfego aéreo em aeroportos e tecnologia de previsão do tempo para alertar sobre tempestades e até terremotos. Mantém trens nos trilhos e satélites no ar e ajuda a combater as mudanças climáticas, ajudando os agricultores a descobrir novas maneiras de cultivar suas plantações. Ajudou pessoas sem conta bancária a se tornarem bancarizadas no mundo em desenvolvimento, permitindo-lhes iniciar negócios e mudar o destino de uma família ou comunidade inteira por gerações.

Entregando habilidades para o mundo

O código aberto é continuamente criado por uma vasta comunidade dos engenheiros mais visionários do mundo. É uma conversa vasta e global, conduzida não apenas de mesas em espaços de trabalho tradicionais, mas de escritórios domésticos, mesas de cozinha, porões, cafés –praticamente em todos os lugares. Esta comunidade de código aberto está sempre crescendo, sempre evoluindo, e com ela as atitudes e prioridades daqueles que a desenvolvem.

De fato, esse senso de comunidade é maior agora do que nunca, com o volume de contribuidores e contribuições aumentando significativamente à medida que a pandemia se desenrolava. No Github, havia mais de 60 milhões de novos repositórios em 2020 –são 40% mais repositórios do que em 2019, demonstrando como essa comunidade global de desenvolvedores se uniu para ajudar o mundo a alavancar o poder da comunidade para resolver os problemas que estamos enfrentando agora e no futuro.

A amplitude desta comunidade é tão inspiradora para mim. É também por isso que, acredito, a ingenuidade do código aberto tem uma veia tão prática, firmemente enraizada em um senso de pés no chão do que o mundo precisa agora e como chegar lá com mais eficiência e eficácia.

Considere, novamente, aquela casa subindo no bairro, e desta vez me refiro ao bairro composto por todos os 7,8 bilhões de nós no planeta. Todos nós precisamos de uma base sólida, uma casa acessível e vigas de telhado que durem. O que é bom para qualquer um de nós é o que é bom para todos os outros. A comunidade de código aberto vive esse ideal, a crença de que a melhor maneira de construir a casa em que todos moramos é fazê-lo juntos, aproveitando o poder de muitos, escolhendo o aberto simplesmente porque funciona.

Estou no mundo da tecnologia há algum tempo, privilegiada por trabalhar com muitas mulheres e homens deslumbrantes. Mas meu trabalho agora no SUSE afirma todos os dias o que tenho observado há muito tempo. Toda vez que tive o privilégio de contribuir para algum tipo de avanço, sempre aconteceu porque uma equipe confiava uma na outra. Isso é verdadeiramente open source para bem.

Em meio a tantos desafios que enfrentamos no planeta agora, a colaboração pode ser apenas a peça mais significativa e muitas vezes ausente –não apenas para tornar o mundo um lugar melhor com a tecnologia, mas para tornar o mundo um lugar melhor em geral.

Sobre o autor: Melissa Di Donato é CEO da SUSE.

Saiba mais sobre Linux e código aberto

ComputerWeekly.com.br
ComputerWeekly.es
Close