Definition

Sistema de gerenciamento de armazenagem ou WMS

Um sistema de gerenciamento de armazenagem (WMS) consiste em ferramentas de software e processos que permitem que as organizações controlem e gerenciem as operações do armazenamento desde o momento em que as mercadorias ou materiais entram em um depósito até que sejam transportados.  

O que faz um WMS? 

Os armazéns estão no centro das operações de manufatura e da cadeia de suprimentos porque contêm todo o material usado ou produzido nesses processos, desde as matérias-primas até os produtos acabados. O objetivo de um WMS é ajudar a garantir que os bens e materiais sejam movidos pelos depósitos da maneira mais eficiente e econômica possível. Um WMS lida com muitas funções que permitem esses movimentos, incluindo rastreamento de estoque, separação, recebimento e armazenamento. 

Um WMS também fornece visibilidade do estoque de uma organização a qualquer hora, em qualquer lugar, seja em uma instalação ou em trânsito. 

Onde o WMS se encaixa na cadeia de abastecimento 

A cadeia de suprimentos só pode funcionar com a rapidez, precisão e eficiência que os processos de armazenamento permitirem. Um WMS desempenha um papel vital na gestão da cadeia de abastecimento, gerenciando os processos de atendimento de pedidos, desde o recebimento de matérias-primas até o envio de produtos acabados. 

Se, por exemplo, as matérias-primas não forem recebidas corretamente ou peças se perderem no depósito, a cadeia de abastecimento pode diminuir seu ritmo normal ou ser interrompida. Os sistemas de gerenciamento de armazenagem são essenciais para garantir que esses processos funcionem sem problemas, rastreando o estoque e fazendo com que os produtos sejam armazenados e classificados de forma adequada, bem como enviados e rastreados com precisão. 

Um WMS é frequentemente usado em conjunto ou integrado com outros sistemas relacionados, incluindo sistemas de gestão empresarial (ERP, da sigla em inglês), sistemas de gerenciamento de transporte (TMS) e sistemas de gerenciamento de estoque. 

A função do WMS é ajudar os usuários a gerenciarem as tarefas de cumprimento, envio e recebimento no depósito ou centro de distribuição, como retirar mercadorias das prateleiras para embarque ou armazenar produtos recebidos. Sua função no inventário é rastrear dados de estoque provenientes de leitores de código de barras e etiquetas de identificação por radiofrequência (RFID) e atualizar o módulo de administração do inventário no sistema ERP para garantir a disponibilidade das informações mais recentes. Um link de integração sincroniza os dados de estoque armazenados no sistema ERP e no WMS. 

Por sua vez, o ERP lida com a contabilidade e a maior parte do faturamento, gerenciamento de pedidos e de estoque. O TMS é onde o processo de envio é gerenciado. É essencialmente um repositório de informações detalhadas sobre as transportadoras, mas também é um sistema de comunicação e um sistema transacional para planejar, executar e rastrear embarques. Às vezes, um TMS pode ser integrado ao WMS para permitir uma melhor coordenação das tarefas de logística de entrada e saída que ocorrem na interface de armazéns e transportadores de carga, como paletização de mercadorias, programação da mão de obra, gerenciamento de pátio, construção de carga e cross-docking. 

Normalmente, os pedidos chegam automaticamente do ERP ou dos sistemas de gerenciamento de pedidos integrados ao TMS. O ERP também gera as informações do pedido de que o TMS precisa para preparar e executar as remessas. Além de itens básicos como nome e endereço do cliente, os dados do ERP também incluem informações detalhadas do produto para garantir que os corretos sejam enviados. O TMS retorna os detalhes da remessa de que o sistema ERP precisa para suas funções de contabilidade e gerenciamento de pedidos, como número de rastreamento, nome da transportadora e custos. As informações de envio também podem ir para um módulo de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM) para ajudar a atualizar o status dos pedidos. 

Tipos de sistemas de gerenciamento de armazéns 

O software de gerenciamento de armazém possui uma variedade de tipos e métodos de implementação, e o tipo geralmente depende do tamanho e da natureza da organização. Eles podem ser sistemas autônomos ou módulos em um sistema ERP maior ou suíte de execução da cadeia de suprimentos. 

Os WMSs também podem variar amplamente em complexidade. Algumas empresas muito pequenas podem usar uma série simples de documentos impressos ou arquivos de planilha, mas a maioria das grandes – e até das pequenas e médias empresas - usa softwares WMS complexos. Algumas configurações de WMS são projetadas especificamente para o tamanho da organização e muitos fornecedores têm versões de produtos WMS que podem ser dimensionados para diferentes tamanhos de organização. Algumas companhias constroem seu próprio WMS do zero, mas é mais comum implementar um sistema de um fornecedor estabelecido. 

Um WMS também pode ser projetado ou configurado para os requisitos específicos da organização. Um provedor de comércio eletrônico, por exemplo, pode usar um WMS com funções diferentes de um varejista tradicional. Além disso, um WMS também pode ser projetado ou configurado especificamente para os tipos de produtos que a organização vende. Um varejista de artigos esportivos tem requisitos diferentes de uma rede de supermercados. 

Características dos sistemas de gerenciamento de armazém 

Muitos recursos são comuns aos softwares WMS, geralmente incluindo o seguinte: 

  • Layout do armazém, que permite às organizações personalizar o fluxo de trabalho e a lógica de separação para garantir que o espaço seja projetado para otimizar a alocação de estoque. O WMS estabelece slots para contêineres que maximizam o espaço de armazenamento e consideram as variações no estoque sazonal. 
  • Rastreamento de estoque, que permite o uso de sistemas avançados de rastreamento e identificação automática e captura de dados (AIDC), incluindo leitores de código de barras e RFID para garantir que as mercadorias possam ser facilmente encontradas quando precisarem ser movidas. 
  • Recebimento e armazenamento, que permite a armazenagem e recuperação de estoque, geralmente com tecnologia pick-to-light ou pick-to-voice para ajudar os funcionários do depósito a localizarem mercadorias. 
  • Picking e embalagem de mercadorias, incluindo picking por zona, por onda e por lotes. Os trabalhadores do armazém também podem usar as funções de intercalar tarefas e divisão das zonas em lotes para orientar os trabalhos de coleta e embalagem da maneira mais eficiente. 
  • Frete, que permite ao WMS enviar conhecimento de embarque (B/L) antes do embarque, gerar listas de embalagem e faturas para o envio e emitir notificações de embarque antecipado aos destinatários. 
  • Gestão de mão de obra, que ajuda os gerentes de armazém a monitorarem a performance dos trabalhadores usando indicadores-chave de desempenho (KPIs) que revelam se eles estão acima ou abaixo dos padrões. 
  • Gerenciamento de pátio e doca, que ajuda os motoristas de caminhão que chegam a um depósito encontrarem as docas de carregamento certas. Um uso mais complexo de gerenciamento de pátio e doca permite cross-docking e outras funções de logística de entrada e saída. 
  • Relatórios, que ajudam os gerentes a analisarem o desempenho das operações do armazém e encontrar áreas para melhorias. 

 WMS baseada na nuvem 

Os sistemas de gerenciamento de armazém, junto com outros sistemas de negócios como ERP, começaram como ferramentas executadas nos servidores locais de uma organização. Esse modelo está mudando e os WMSs baseados em nuvem estão se tornando mais comuns à medida que as companhias se dão conta dos benefícios desse modelo. 

A principal característica de um WMS baseado em nuvem em comparação com o sistema local tradicional é que o software é hospedado e gerenciado pelo provedor de WMS ou por um provedor de serviços em nuvem. Isso elimina o fardo de instalar, gerenciar e atualizar o sistema do departamento de TI da sua empresa.  

Por serem mais fáceis de instalar e menos caros de gerenciar, os WMSs baseados em nuvem tendem a ser os preferidos pelos pequenos e médios negócios. As empresas maiores muitas vezes implementam WMS dentro de casa porque precisam de sistemas altamente personalizados que atendam aos requisitos de seu setor específico e tenham os recursos para gerenciar os requisitos de TI. 

Os benefícios do WMS baseado em nuvem são os seguintes: 

Implantação mais rápida. o WMS local tradicional pode levar meses para ser implantado, enquanto as implantações do WMS com base na nuvem podem ser concluídas em semanas, dependendo da complexidade. Isso significa que as organizações têm um caminho mais rápido para um ROI positivo e podem aproveitar as vantagens dos recursos de WMS na nuvem mais cedo, o que é um grande benefício na economia acelerada de hoje. 

Menos problemas de atualização. O modelo de implantação SaaS (software as a service) baseado em nuvem inclui atualizações programadas regularmente, e todas elas, assim como as configurações, são tratadas pelo provedor. Isso significa que as organizações sempre têm a versão mais recente do software e gastam o mínimo de tempo e recursos gerenciando cada atualização. 

Custos mais baixos. WMS baseado em nuvem não requer a instalação de hardware, software e administradores de TI para gerenciá-los. Portanto, este tipo de sistema têm custos iniciais mais baixos e, às vezes, até custos recorrentes menores do que os sistemas locais. Eles também não requerem personalização ou modificação, o que pode ser caro para quem mantém essas infraestruturas dentro de casa. As atualizações dos sistemas locais também podem ser caras, pois podem envolver a reinstalação e reconfiguração do software e, em alguns casos, a atualização do hardware. 

Escalabilidade. Os WMSs baseados em nuvem podem escalar rapidamente conforme as organizações crescem e as cadeias de suprimentos se tornam mais complexas. Eles também são mais flexíveis e podem ser reconfigurados conforme mudam os requisitos de negócios ou as condições de mercado. 

Os pontos negativos dos WMSs baseados em nuvem são os seguintes: 

Custos de longo prazo. Embora os WMSs baseados em nuvem geralmente tenham custos iniciais mais baixos do que os sistemas locais, pagar pelas licenças em uma base mensal ou anual pode ser mais caro no longo prazo. As organizações também podem incorrer em custos adicionais para implementar novos módulos ou pacotes de suporte premium. 

Personalização. O WMS no modelo SaaS geralmente não pode ser personalizado, tornando-o menos adequado para organizações que precisam modificar o sistema para atender a processos específicos ou requisitos da indústria. 

Atualizações. WMSs baseados em nuvem são geralmente atualizados regularmente para todos os clientes. Embora isso garanta que os sistemas estejam sempre em dia, pode exigir que os clientes alterem os processos regularmente para acompanhar a nova tecnologia, e os usuários podem precisar de mais capacitação cada vez que o software for atualizado caso as alterações sejam significativas. 

Todos os principais fornecedores de WMS (IBM, Microsoft, Oracle e SAP) oferecem uma variedade de opções de implantação, incluindo sistemas baseados em nuvem. Os provedores de WMS que são principalmente baseados na nuvem ou apenas na nuvem incluem Fishbowl, HighJump e SnapFulfil. 

Benefícios do sistema de gerenciamento de armazém 

Embora um WMS seja complexo e caro de implementar e executar, as organizações colhem vários benefícios que podem justificar essas características. 

Implementar um WMS pode ajudar uma organização a reduzir os custos de mão de obra, melhorar a precisão do inventário, incrementar a flexibilidade e a capacidade de resposta, reduzir erros na seleção e envio de mercadorias e melhorar o atendimento ao cliente. Os modernos sistemas de gestão de armazém operam com dados em tempo real, permitindo que as companhias gerenciem as informações mais atualizadas sobre atividades como pedidos, remessas, recebimentos e qualquer movimentação de mercadorias. 

WMS e IoT 

Dispositivos e sensores conectados em produtos e materiais ajudam as organizações a garantir que podem produzir e enviar a quantidade certa de itens pelo preço certo para o lugar certo na hora certa. Todos esses recursos ficaram mais baratos e mais difundidos graças à Internet das Coisas (IoT). 

Esses dados de IoT podem ser integrados a um WMS para ajudar a gerenciar o roteamento de produtos do ponto de coleta ao ponto final. A integração permite que as organizações desenvolvam cadeias de suprimentos baseadas em pull, em vez de push. As cadeias de suprimentos baseadas em pull são impulsionadas pela demanda do cliente, permitindo à organização mais flexibilidade e capacidade de resposta, enquanto as cadeias de suprimentos baseadas em push são impulsionadas por projeções de longo prazo da demanda do cliente. 

Principais provedores de WMS 

Vários fornecedores de software corporativo de grande porte vendem software WMS como produtos autônomos ou como módulos de pacotes ERP completos. Entre eles estão: 

  • IBM 
  • Microsoft 
  • Oracle 
  • SAP 

Há uma variedade de outros fornecedores de software WMS proeminentes, muitos dos quais têm como alvo setores ou tamanhos de empresa específicos, como pequenas e médias empresas. Estão incluídos nesta categoria: 

  • Aptean 
  • ASCTrac 
  • Basware 
  • Blue Yonder (anteriormente JDA Software) 
  • Click Reply 
  • Epicor 
  • Fishbowl 
  • HighJump (adquirido pela Körber em 2017) 
  • Infor 
  • Manhattan Associates 
  • Rootstock Software (que adquiriu a Kenandy em janeiro de 2018) 
  • Sage 
  • SnapFulfil 
  • Softeon 
  • Tecsys 
Este conteúdo foi atualizado pela última vez em Julho 2021

Saiba mais sobre Varejo, logística e comércio eletrônico

ComputerWeekly.com.br
ComputerWeekly.es
Close